HOPEM capacita Associações juvenis em Direitos Sexuais e Reprodutivos

Por: Cremildo Churane

A Rede HOPEM realizou entre os meses de Outubro e Novembro de 2014 duas formações em Direitos Sexuais e Reprodutivos (DSR) para 51 jovens do sexo masculino...

provenientes das associações juvenis dos arredores da cidade de Maputo e de Maputo província, com destaque para as associações Kutenga, Meninos de Moçambique, Amigos do Macuácua e Horizonte Azul.

A formação tinha em vista dotar os jovens de conhecimentos e habilidades, para o engajamento de homens e rapazes na promoção dos direitos sexuais e reprodutivos, ou seja, visava desenvolver habilidades de como eles como activistas, deviam reagir ou aconselhar os homens e rapazes em caso de situações concretas sobre DSR e também, identificar e abordar formas alternativas de mobilização comunitária, para proporcionar um ambiente mais saudável nas relações entre os homens e rapazes e seus/suas parceiras.

No que concerne aos objectivos da formação na dimensão do conhecimento, estes foram alcançados, como enfatizam as palavras de Fidélio Chongola, um dos participantes quando questionado sobre o que são direitos sexuais reprodutivos “para mim, falar de direitos sexuais e reprodutivos é falar de habilidades que alguém tem de tomar decisões de quando, como, com quem quer manter as relações sexuais”.

Não obstante, terem adquirindo conhecimentos e habilidades, ainda há resistência na dimensão das práticas como salientou, o Gestor de Direitos Sexuais e Reprodutivos da HOPEM e facilitador da formação Severino Ngole referiu que “ houve resistência em alguns dos participantes em aceitar a mudança no que tange, a quem deve decidir nas relações sexuais, pois acham que são os homens quem deve ter a última palavra, porque para eles, os homens têm mais desejo do que as mulheres”.     

Esta resistência reflecte o que Luyt e Foster (2001) e The Nation (2007) designa da versão dominante de masculinidade, manifestada pela dureza (virilidade) e controle da sexualidade das mulheres directamente proporcionais às expectativas que se espera deles, como homens por parte de outros homens e das mulheres.            

Embora tenham manifestado essa resistência no comportamento, o interesse mostrado pelos activistas em matérias de sexualidade e de identidade de género, demonstra que estas temáticas, precisam de ser abordadas incisivamente nas formações e difundidas nos meios de comunicação social de uma forma simples e que seja percebida com um simples glance pelos activistas e cidadãos comuns.                

Por último, é preciso referenciar que foi facilitada uma sessão sobre homossexualidade e direitos humanos pela Associação Moçambicana Para a Defesa das Minorias Sexuais (LAMBDA) resultante do memorando de entendimento entre esta e a Rede HOPEM.

Breves

Acompanha uma breve reportagem em video da Deutsche Welle sobre as actividades do programa "Homens na Cozinha" no youtube da Rede Hopem.

pesquisas

Concorda que as artes contribuem para a igualdade de género?
 

Contador de visitas

mod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_counter
mod_vvisit_counterHoje34
mod_vvisit_counterOntem34
mod_vvisit_counterEsta semana579
mod_vvisit_counterNa semana passada843
mod_vvisit_counterEste mês2599
mod_vvisit_counterMês passado5461
mod_vvisit_counterTotal de visitas356163

We have: 13 guests online
Your IP: 54.166.82.161
 , 
Today: Mar 24, 2017